segunda-feira, 3 de julho de 2017

Adote


Carente de carinho. Sujo. Abandonado. Sozinho.

A saudade é uma corda amarrada no pescoço.
Quanto mais longe busca ir, mais aperta o nó na garganta - pobre cão sem passeio.

Mata a falta que sente do vento ou morre a míngua, perto do poste e do pote.
Balança o rabo, sonha liberdade, um dono, um lar. Cafuné, "vai deitar!"

.



Nenhum comentário:

Postar um comentário