terça-feira, 4 de setembro de 2012

Texto Express


Eu não sei lidar com encomendas, de vários tipos. Escrever é uma coisa artística para mim, é como descarregar inspirações que surgem, aparecem, nos momentos mais inesperados.

Corro o risco e desenho letras, corro pra frente, pra direita, termino no limite, no ponto exato. Alguns erros no trajeto, e dificilmente volto. No caminho tropeços, aventuras, armadilhas, mas também, em muitos casos, liso e plano – é como aqueles exames cardíacos, sabe? – meço a minha freqüência de altos e baixos e sigo correndo o risco.

Sou muito eu mandando em mim, e, por isso, sua encomenda é arriscada. É uma coisa que estou aprendendo a lidar, mas ainda não consigo correr o risco da melhor maneira.

Sei lá, embaça, quebra a ponta, acaba a tinta, a ideia não vem – quase um boicote do universo.

Se eu conseguir, demora bastante e pode desagradar um pouco.

– Periga não receber.


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...