sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Mentiras escritas com a luz


Não há como fotografar a alma e isso é uma pena!

A intenção não é viver, é mostrar que vivo. Registro o momento e mostro ao vento, deixo secar no varal, colo no mural. Deixo me mostrar pra quem passar, mesmo que não queira ver.

A intenção não é viver é mostrar quem sou ali, naquela fração. Feliz por mim mesmo, sabendo que me verá em destaque. Posso não me divertir no momento, mas serei feliz quando curtir o meu passado impresso em imagem. Foi fato, você não estava lá, por isso me alegro.
Se eu pudesse fotografar a alma, a mente ou pelo menos a intenção, provaria a você que estou certo.

Alma vazia, ego cheio. Como é bom o click, o flash, melhor ainda te mostrar depois. Nostalgia do que não vivi, saudade do que não fui. O momento congelado mente, mas você nunca saberá - meu conforto.

A quem interessar ou não, vivo bem! Espalhe a notícia, mesmo que minta.

Pessimista, eu? Não! No digital não há negativos.

.

Um comentário:

  1. Penso nisso, mas nunca consegui expressar tão bem a interrogação que é ver as vidas somente em megapixels, pra relembrar um passado que não existiu. Muito bom!!!

    Abs, Du

    ResponderExcluir

Loading...