quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A poesia salvou a minha vida!

Antes dela, o mundo era chato e sem graça. Não via cores e nem formas. Os sons não me atraiam e o cheiro era forte e enjoativo. Vozes eram vozes, sentir era simplesmente tocar alguma coisa.

Mas ainda bem que ela está ai para nos mostrar o óbvio.

Quando a conheci, virei um observador nato, um amante da vida, completo bobo diante da natureza, dos animais e das coisas mais simples da vida. A curiosidade não me deixou mais quieto, o prazer de sentir, tocar e ver se multiplicou por mil.

Músicas, textos, imagens, cheiro, gosto e prazer – ela me fez mais feliz e mais vivo.

Tudo é poesia. Sem ela, talvez eu nem tivesse nascido.

Descobri que bobo não é quem para e sente, é quem corre e não percebe.

A poesia... Ela sim salvou a minha vida.


.

Um comentário:

  1. E pensar que o mais difícil é seguir o óbvio, não é mesmo? A gente complica demais, essa é que é a verdade. Vamos poetizar nossas vidas, fazer delas algo que possa ser inspiração para quem ainda não sabe o prazer que é estar.

    ResponderExcluir

Loading...